16 de maio de 2009

Os segredos da Arte Makonde




Em troca do seu silêncio, estas estátuas makondes escondem e revelam, ao mesmo tempo, segredos "bem" guardados no Tempo...

Histórias de como os makondes dizem ter expulsado os comerciantes árabes e mais tarde os portugueses...

Histórias escondidas da Frelimo, como a de um Ronga de seu nome Lourenço Matola, de quem se diz que terá matado o célebre Filipe Samuel Magaya. Ou a do makonde que se intitulava de "General sem Fronteiras", de seu verdadeiro (?) nome Augusto Macaba, a quem imputam a morte dos presidentes do Burundi e do Ruanda... e que mais tarde acabou ao que se diz...morto por Mugabe...

Ou a dos makondes refugiados na Tanzânia e Quénia que morreram pouco depois de voltar a Moçambique, embora presidencialmente perdoados, ou foram parar a campos de concentração ou de reeducação... ou acabaram escravizados e calados com o subsídio de ex-combatente. Ou que partiram para fazer outras guerras por encomenda, como mercenários...

São histórias assim, um pouco esquecidas ou sabiamente ignoradas, de demónios lembrados ou imaginários, que nunca verão a luz do dia nem a justiça de verem o sangue makonde vingado a não ser no relevo e no cheiro das estátuas e espíritos de madeira que as contam... em segredo...