7 de março de 2010

Sócrates põe Portugal na linha da frente para recuperar Moçambique..






No fim da visita a Moçambique, José Sócrates manteve-se irredutível e recusou fazer qualquer comentário sobre o caso das escutas. "Tenha piedade! Não é aqui que eu vou fazer comentários sobre esse episódio lamentável", disse o primeiro-ministro a propósito das declarações de Manuela Moura Guedes na comissão de Ética. Quando questionado sobre a comissão de inquérito, Sócrates manteve a recusa de falar sobre o assunto.

Durante a manhã o primeiro--ministro visitou a Escola Portuguesa de Moçambique, que assinala o fim da visita oficial de três dias a Moçambique.

Durante estes três dias de visita a Moçambique, José Sócrates não se cansou de passar a sua mensagem, não se desviando um milímetro para comentar temas da actualidade política nacional. O reforço das relações políticas e económicas entre os dois países e as palavras de confiança sobre novos tempos de maior investimento e mais parcerias entre empresários portugueses e moçambicanos foram a nota dominante no discurso.

Sócrates conseguiu manter no caso de Moçambique a tradição do jogging matinal, agora pelas ruas de Maputo.

(...)

in i-online
Outras notícias sobre a visita de Sócrates a Moçambique: