1 de setembro de 2011

Integração da Adaptação às Alterações Climáticas na Cooperação para o Desenvolvimento


“ Fazer face às alterações climáticas é talvez o maior desafio ambiental que enfrentamos no presente. Se não forem implementadas políticas mais ambiciosas a OCDE prevê que as emissões mundiais de gases com efeito de estufa aumentem em cerca de 70% em 2050, com consequências severas… E mesmo que sejam adotadas acções para lutar contra as alterações climáticas, algum grau de aquecimento global devido às emissões passadas está já instalado, colocando um sério desafio ao desenvolvimento social e económico em todos os países. Deste modo, é imperativo que nos adaptemos a um clima já em mudança.”


“Os países em desenvolvimento são particularmente vulneráveis aos impactes das alterações climáticas por serem altamente dependentes dos recursos naturais e devido à sua capacidade limitada para reagirem a estes impactes. Eles terão que garantir que as suas políticas e estratégias de desenvolvimento são resilientes a um clima em mudança. Os doadores internacionais têm um papel crítico a desempenhar no apoio a esses esforços.”


Começa assim o prefácio do Guia para o Desenvolvimento de Políticas da OCDE sobre “Integração da Adaptação às Alterações Climáticas na Cooperação para o Desenvolvimento", cuja versão em português conta com o apoio da cooperação portuguesa através do IPAD, I.P. e do CECAC (Comité Executivo para a Comissão das Alterações Climáticas) e que poderá ser importada a partir daqui.