5 de dezembro de 2013

Eurobarómetro: Cidadãos Europeus continuam a ver o apoio aos países em desenvolvimento como uma prioridade



No âmbito dos Dias Europeus do Desenvolvimento, que decorreram a 26 e 27 de Novembro em Bruxelas, foram divulgados os resultados do Eurobarómetro Especial “Ajuda ao desenvolvimento da União Europeia e Objectivos de Desenvolvimento do Milénio”.
Segundo este Eurobarómetro, 66% dos cidadãos da União Europeia (UE) consideram que a luta contra a pobreza nos países em desenvolvimento (PED) deve ser uma das principais prioridades da UE e 48% pensam que esta deve ser uma das principais prioridades do governo do seu país. De realçar ainda que 83% das pessoas inquiridas entendem que é importante ajudar as populações destes países. Outros dados relevantes a nível europeu:
  • Sete em cada dez pessoas (69%) consideram que ajudar os países em desenvolvimento é também positivo para a UE e beneficia os seus cidadãos.
  • Em relação ao último Eurobarómetro, aumento do número de pessoas dispostas a pagar mais por produtos alimentares e outros produtos que apoiam os países em desenvolvimento (quase 50%).
  • 61% das pessoas inquiridas são favoráveis ao aumento da ajuda ao desenvolvimento.
Em Portugal, são 86% os que defendem que é importante ajudar as pessoas nos países em desenvolvimento (mais 3% que a média europeia) e 56% concordam que podem ter um papel no combate à pobreza nos países em desenvolvimento (mais 4% que a generalidade dos cidadãos europeus). De realçar ainda que 50% consideram que a UE e os Estados-membro devem manter a promessa de aumentar a ajuda aos países em desenvolvimento.
Apesar de os resultados serem positivos, verifica-se que ainda há algum trabalho a fazer para termos um maior envolvimento da população europeia em relação às questões do Desenvolvimento. Estes resultados são também uma mensagem para os governos numa altura em que os cortes no financiamento ao Desenvolvimento têm sido uma constante.
Pode consultar online:
 
* O Eurobarómetro baseia-se nos resultados de uma consulta pública através de questionários junto cidadãos da União Europeia.

http://plataformaongd.pt/noticias/noticia.aspx?id=798